PF Lança Operação Contra Ex-Militares do Governo Bolsonaro por Suspeita de Tentativa de Golpe
foto: divulgação PF

Nesta quinta-feira (8), a Polícia Federal deflagrou a Operação Tempus Veritatis, visando investigar a participação de ex-militares que fizeram parte do governo de Jair Bolsonaro em uma suposta tentativa de golpe de Estado. A ação marca uma etapa significativa nas apurações sobre atos contra a estabilidade democrática do país, envolvendo nomes de alto escalão que ocuparam cargos durante o mandato do ex-presidente.

Entre os alvos da operação estão o ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, o ex-ministro da Casa Civil, general Walter Souza Braga Netto, e o ex-ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

O presidente atual, Luiz Inácio Lula da Silva, ao comentar sobre a operação, expressou a esperança de que a lei seja aplicada de forma justa, ressaltando a importância da transparência e do cumprimento legal nas investigações. Em suas declarações, Lula enfatizou a necessidade de identificar os financiadores dos atos que levaram à tentativa de golpe, apontando para a seriedade com que o governo atual vê a situação.

A operação judicial em curso compreende 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares, entre elas a proibição de comunicação entre os investigados e a restrição de saída do país. Notavelmente, a ação inclui a apreensão do passaporte de Jair Bolsonaro, em um movimento autorizado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.

A lista de investigados abrange um amplo espectro de figuras militares e políticas ligadas ao governo Bolsonaro, indicando a abrangência da investigação. Um elemento chave na operação foi o acordo de colaboração feito pelo tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, com a Polícia Federal, que promete fornecer informações valiosas para o avanço das apurações.

Com a operação, as autoridades buscam esclarecer a extensão e os detalhes da suposta tentativa de golpe, enquanto as defesas dos acusados preparam suas respostas às acusações. O Exército Brasileiro, por sua vez, afirmou estar cooperando com as investigações, evidenciando a complexidade e a seriedade do caso em questão.